O final e o início de cada ano são épocas em que todas, de forma mais ou menos estruturada, fazemos planos, pessoais e profissionais.

Mas, diz-me, nesses teus planos incluis o planeamento dos teus conteúdos?

Se não, é altura de mudares isso e, com este artigo, vou ajudar-te. Aqui encontras as principais tendências na produção de conteúdos para 2021, reunidas a partir deste artigo do Content Marketing Institute. Mas, mais do que isso, trago-te também dicas práticas para que possas seguir as tendências no dia a dia da produção de conteúdos para o teu negócio, seja em que área for.

Então, quais são as principais tendências para 2021 na produção de conteúdos?

  1. Focar experiências

Mais do que focares os teus conteúdos nos teus produtos ou serviços, é importante que o ponto central seja a experiência que o teu trabalho proporciona ao teu cliente ideal. A partilha de experiências que acrescentem valor, que sejam agradáveis e que contribuam para humanizar as marcas é cada vez mais valorizada. Isto vai aproximar as marcas dos seus potenciais clientes e facilitar a venda.

Como é que podes fazer isto na prática?

Contando o caso de um cliente que tenhas ajudado. Explica a sua situação antes de tu intervires e como é que ele se sentia. Depois, explica o que fizeste para ajudar, sem dares muitos detalhes, mas contando o suficiente para explicares um pouco a tua metodologia de trabalho. Por fim, mostra como é que o teu cliente beneficiou. Se conseguires apresentar resultados concretos e quantificáveis, ainda melhor.

        2. Pensar em primeiro lugar nas pessoas que os nossos conteúdos servem

O cliente ideal das marcas deve ser o centro de toda a estratégia da marca. Tudo aquilo que é criado deve ter as necessidades, frustrações, objetivos e sonhos do cliente ideal como base.

Como é que podes fazer isto na prática?

Pensa temas que correspondam a dúvidas frequentes dos teus clientes e potenciais clientes. Faz uma lista de perguntas mais frequentes e responde. Quantos posts para as redes sociais conseguirias assim? E se agrupares por temas, quantos artigos para o blog ou vídeos para o youtube terias?
Mulher a sorrir por criar segundo as tendências na produção de conteúdos.

       3. Ser flexível

Deixa de lado a rigidez, quer na estratégia que tens para os teus conteúdos quer nas métricas que defines. 2020 ensinou-nos que a flexibilidade e a adaptabilidade são 2 soft skills essenciais para ter sucesso. A tua estratégia tem sempre de servir a tua audiência e colocar o foco na humanização da tua marca.

Como é que podes fazer isto na prática?

Conta como é que a tua experiência ou a de um antigo cliente te ajudou a fazeres aquilo que fazes hoje; partilha uma dificuldade por que tenhas passado e que, hoje, ajudes os outros a ultrapassar.

4. Conhecer as prioridades atuais do teu cliente ideal

Se houve coisa que aprendemos em 2020 foi que o mundo está em constante mudança, tal como nós. Por isso, o teu cliente ideal não é exceção e aquilo que o preocupava há 6 meses pode já não ser exatamente aquilo que o preocupa neste momento.

Como é que podes fazer isto na prática?

Faz perguntas. Envia um questionário para a tua lista de emails ou usa as tuas redes sociais para saberes quais os temas sobre que ele gostava de saber mais. Se a tua comunidade ainda não é muito grande ou não costumas ter grande interação por parte de quem te segue, pesquisa em contas com perfis semelhantes ao teu. Vê as perguntas que as pessoas colocam e prepara conteúdos que deem essas respostas.

5. Promover a interação

2020 afastou-nos fisicamente e isso, para algumas pessoas, foi um golpe duro. Por isso, 2021 é tempo de encontrar formas de ligar as pessoas. Mesmo pessoas dentro da tua comunidade, de forma a que se gerem sinergias, sentimento de pertença e a noção de que, afinal, partilhamos os mesmos desafios.

Como é que podes fazer isto na prática?

Se tens um grupo associado à tua marca no Facebook podes, por exemplo, perguntar quais as maiores dificuldades que sentiram em 2020 num determinado tópico da tua área de atuação. Nas redes sociais, podes criar uma sondagem, partilhar o resultado e dar algumas dicas para ajudar ou mesmo pedir dicas a quem já passou por essa situação e juntá-las às tuas.

6. Satisfazer as necessidades emocionais

A maior parte do conteúdo satisfaz necessidades funcionais, dá dicas, sugestões, ajuda a resolver problemas. Isto é necessário, sem dúvida. Mas é preciso ir além disto. É preciso que o conteúdo faça também a ponte com a emoção, de forma única e interessante.

Como é que podes fazer isto na prática?

Praticar a escrita autêntica e vinda do coração, com o intuito genuíno de ajudar, de promover o bem e transformar a vida das pessoas. Se é fácil de conseguir? Não, mas se tivermos isto em mente quando produzimos conteúdo acho que já é um bom começo.

Secretária com materiais para criar segundo as tendencias na produção de conteúdos
Outros destaques igualmente interessantes:

  • Agarrar as oportunidades – o mundo está a mudar a uma velocidade incrível, por isso algumas oportunidades são mesmo únicas. Se há um tema que esteja na ordem do dia e que se relacione diretamente com a tua área de atuação, cria conteúdo sobre ele.
  • Consistência e estabilidade – é preferível criares e publicares menos conteúdo, mas de forma consistente e alinhada com a tua marca, os teus valores e o teu cliente ideal, do que investires tempo e energia em publicações em massa que, depois, pouco acrescentam à tua comunidade.
  • Criar de dentro para fora – pensa em ti, nos desafios que enfrentas (ou que já enfrentaste), naquilo que fazes diariamente para os enfrentar, nos teus processos… Só isso já te vai dar informações valiosíssimas para a tua criação de conteúdos. De forma autêntica, o que ainda é melhor.

Agora, gostava que me dissesses se já tinhas pensado nestas abordagens aos conteúdos e se há alguma que estejas particularmente interessada em experimentar. Deixa-me o teu comentário ou envia-me um email para trocarmos algumas ideias.