A página inicial do teu site (homepage) é a montra da tua marca. Quando o teu potencial cliente ali chega, deve ficar a saber tudo o que é essencial sobre a tua marca (e sobre ti) e o ideal é que, logo ali, sinta que está no sítio certo, um sítio onde se sente acolhido e compreendido. Um sítio onde se sente em casa.

Por isso, cabe-te a ti (ou a quem escreve os conteúdos para o teu site) mostrar ao teu potencial cliente como estás feliz por tê-lo ali. Neste artigo vou-te explicar o que tens de fazer para o conseguires.

Ao chegar à página inicial do teu site, o visitante deve, de forma rápida, perceber o que há ali para ele. Quem é que tu és, o que é que fazes e – mais importante ainda – porque é que tudo isso é importante para ele.

Isto não significa que esta página tenha de mostrar tudo o que a tua marca faz. Basta que deixe claros os 3 pontos seguintes:

  • o que ofereces;
  • como é que isso pode ajudar o teu cliente ideal;
  • quem é que tu ajudas.

Não sabes como podes fazer isto? Continua a ler que eu explico-te tudo.

Mulher empreendedora a sorrir escreve a página inicial do seu site ao computador.

Para que a página inicial do teu site seja apelativa, não chega ter um design bonito. As palavras que escolhes para colocar ali, ou seja, o copy que tens no teu site vai sempre ser o mais importante.

O copy da tua homepage, tal como os produtos mais especiais numa montra de uma loja, faz a diferença entre incentivar o teu potencial cliente a entrar e experimentar aquilo que lhe estás a oferecer, porque se identifica com o que tens à vista na tua montra, ou afastá-lo, porque, afinal, não parece haver ali nada para ele.

Para que a página inicial do teu site prenda a atenção do teu potencial cliente, não tem de ser perfeita, mas deve:

  • estar escrita de forma clara;
  • falar diretamente para o teu cliente ideal.

Então, agora que já vimos que, ao chegar ao teu site, o teu potencial cliente tem de perceber que está no sítio certo ou, pelo menos, tem de ficar suficientemente curioso para ficar por lá para descobrir mais acerca de ti e da tua marca, vamos ver que elementos te podem ajudar a consegui-lo e como os podes pôr a funcionar a teu favor.

Estrutura para uma página inicial que converte

Para criares uma página inicial que converte, podes guiar-te por esta estrutura:

  1. Título – O título comunica o valor que tens para oferecer ao teu cliente ideal, ajuda a clarificar a mensagem central do teu negócio. A mensagem central do teu negócio tem como foco o teu cliente ideal. Pensa: se só pudesses dizer alguma coisa ao teu cliente ideal para que ele comprasse os teus produtos ou serviços, que coisa seria essa? Qual é a mensagem mais importante da tua marca? Isto porque, mais do que clarificar aquilo que fazes ou vendes, o título da tua homepage deve clarificar aquilo que tu fazes pelos teus clientes.
  2. O quê? – Explica o que fazes e para quem. É aqui que vais prender a atenção do visitante, deixando claro o que ofereces e tornando-o apelativo para o teu cliente ideal. O foco do teu copy deve estar sempre na transformação que proporcionas na vida do teu cliente ideal, ou seja, naquilo que ele pode ganhar por trabalhar contigo ou por comprar os teus produtos.
  3. Opt-in para um produto gratuito – A tua homepage é também o sítio ideal para agarrares a oportunidade de ficares com um contacto do teu potencial cliente e, assim, poderes manter uma comunicação mais próxima com ele dali para a frente, sem interferência de algoritmos que não podes controlar. Os produtos gratuitos (ou freebies) são, portanto, uma boa contrapartida para ofereceres à tua audiência na tua homepage. Garante que o freebie que escolhes é útil e focado no teu cliente ideal. Podes optar por um ebook, um mini-desafio, uma checklist, uma sequência de vídeos, uma tabela, o que quiseres…
  4. Prova social – A página inicial do teu site deve incluir logo elementos que demonstram que há pessoas que confiam em ti e no teu trabalho, que já ajudaste pessoas com que o teu cliente ideal se possa identificar. Os testemunhos são essenciais no teu site e não podem faltar também na tua homepage.
  5. O que fazer a seguir? – Então, o teu potencial cliente continua no teu site. Já despertaste a sua curiosidade e ele ainda está na tua página inicial. Portanto, está interessado naquilo que tens para lhe oferecer. E agora? O que deve fazer a seguir? É isso que tens de lhe mostrar. Não lhe dês demasiadas opções. Cada página deve ter, idealmente, apenas uma chamada à ação, com exceção da homepage, que pode ter entre 3 e 6. Estas chamadas à ação vão levar o visitante do teu site a saber mais sobre ti, por exemplo, encaminhando-o para a tua página Sobre, ou podem encaminhá-lo para os teus serviços principais, ou, então, podem ainda indicar-lhe o caminho para os últimos artigos no blog. A escolha será dele, mas tu deves deixar-lhe essas portas abertas. Assim, vais mantê-lo dentro do teu site durante mais tempo.

Agora que já sabes a estrutura que a página inicial do teu site deve ter, deixo-te ainda algumas dicas e sugestões adicionais para melhorares o teu copy.

Computador portátil de uma mulher empreendedora que quer escrever a página inicial do seu site, com um caderno e uma rosa do lado direito.

Outras sugestões

Design

  • Cria botões chamativos.

Já sabes que as CTA (Call to action ou chamadas à ação) devem estar relacionadas com um problema específico do teu potencial cliente, com o intuito de o ajudar.

Ora, o design assume aqui grande importância. Os botões das chamadas à ação devem, por exemplo, ter uma cor diferente do resto do texto, de forma a destacarem-se e conduzirem o visitante numa determinada direção.

  • Escreve blocos de texto curtos.

A página inicial do teu site deve ser minimalista e ter apenas o essencial para que o visitante consiga clarificar os pontos que vimos no início do artigo (o que ofereces; como é que isso pode ajudar o teu cliente ideal; quem é que tu ajudas). É fácil cairmos na tentação de pôr tudo na página inicial, mas a máxima “menos é mais” deve ser recordada quando estás a escrever os teus conteúdos para esta página. Evita “afogar” o visitante em informação para não o baralhares. Um potencial cliente confuso vai ter mais dificuldade em avançar para a compra.

Copy

  • Foca-te na tua audiência.

Quem é ela? Quem é que tu queres atrair? E, igualmente importante, quem é que tu não queres atrair? A forma como escreves o copy do teu site tem o poder de criar, desde logo, um filtro que te permite atrair as pessoas certas. Para isso, é preciso conheceres bem o teu cliente ideal. Estas perguntas vão ajudar-te.

  • Usa palavras que a tua audiência usa.

Escolhe palavras que sejam familiares ao teu cliente ideal e que contribuam para uma maior proximidade. Teres um Manual de Comunicação Escrita vai ajudar-te.

  • Dirige-te ao teu cliente ideal.

Usa a segunda ou a terceira pessoa do singular com frequência. No teu site, o teu cliente ideal é mais importante do que a tua marca, por isso o “tu” deve aparecer mais vezes do que o “eu” ou o “nós”.

Um erro comum é tornar os sites (só) sobre a marca, mas o que importa realmente é deixares claro o que é que há na tua marca que pode ter interesse para o teu cliente ideal.

  • Conecta-te com as pessoas que acabaram de conhecer a tua marca.

A homepage do teu site também é a tua oportunidade – às vezes, a primeira e única – para te conectares com pessoas que acabaram de conhecer a tua marca. Também estas devem ficar com o sentimento de que estão no sítio certo.

Isto consegue-se quando sabes quais são as suas motivações e o que ele precisa realmente. Quando descobres isto, sabes como podes comunicar para o ajudar. Assim, o teu potencial cliente vai sentir-se compreendido, amparado e, sobretudo, vai sentir que tu és a pessoa certa para o ajudar e que estás ali para ele.

  • Dica extra:

Fala diretamente com clientes e ex-clientes ou com pessoas que correspondam ao teu potencial cliente, se estiveres mesmo a começar o teu negócio. Faz-lhes algumas perguntas sobre como o teu serviço ou a tua marca os ajuda ou ajudou e anota as palavras que eles usam. Anota-as tal e qual te são ditas. Usa-as depois no teu copy para expressares as suas frustrações ou os seus desejos. Esta dica é válida para qualquer peça de conteúdo que precises de criar.

Concluindo…

Ao preparares os conteúdos para a página inicial parte de uma estrutura que deixe claro o que fazes, para quem o fazes e porque é que o fazes é útil para essas pessoas.

Depois, mantém presente a máxima “Menos é mais” e mantém o design e a linguagem simples e claros, dando destaque às palavras e expressões que o teu cliente ideal usa.

Então, gostaste deste artigo? Qualquer dúvida que tenhas, não hesites em deixar o teu comentário ou entrar em contacto comigo.