Já deste por ti a matutar num problema que não consegues resolver? Ou a quereres focar-te numa determinada tarefa e não conseguires, porque a tua mente te leva sempre de regresso à situação que te está a preocupar?

Como empreendedora, acredito que esta seja uma situação que te acontece com alguma frequência.

Mas não te sintas sozinha. Afinal, temos cerca de 50 000 pensamentos ao longo do dia e a maior parte deles prende-se com alguma situação que nos esteja a incomodar.

E, quando trabalhamos por conta própria, o que não faltam são razões para nos sentirmos preocupadas e ansiosas.

Felizmente, já se conhecem algumas técnicas que te podem ajudar a “limpar” a cabeça e, com isso, trazer mais clareza ao teu pensamento, diminuindo a ansiedade e promovendo o foco e a concentração.

Uma dessas técnicas é o journaling, uma prática simples, mas poderosa, que pode ajudar empreendedoras como tu na comunicação da tua marca e na gestão do teu negócio.

Mas vamos conhecer esta ferramenta com mais detalhe.

O que é o journaling?

O journaling é uma atividade de escrita, idealmente realizada diariamente e à mão, como um diário íntimo, em que nos permitimos colocar no papel os nossos pensamentos e sentimentos, sem qualquer tipo de julgamento.

Não é algo que tenhamos de mostrar aos outros. É uma escrita pessoal, íntima, que só nos diz respeito a nós.

Para praticar journaling, podes usar tópicos pré-definidos ou, então, começar simplesmente a escrever, sem qualquer tema em concreto, deixando apenas surgir os pensamentos e ir registando-os no papel.

Quando falamos de journaling para empreendedoras, o que podemos fazer é orientar as questões para aspetos específicos do nosso negócio que gostássemos de clarificar, por exemplo, com que tipo de pessoas queremos trabalhar, que impacto gostaríamos que a nossa oferta tivesse nos nossos clientes, o que nos move no nosso trabalho…

Quais os benefícios do journaling para empreendedoras?

Psicólogos como Joseph Brauer, colaborador de Sigmund Freud, já referia, nos finais do século XIX, o potencial de cura que as pessoas podiam alcançar por poderem falar acerca das suas histórias e situações de vida.

Nos anos 80, um estudo conduzido por James W. Pennebaker concluiu ainda que o impacto da escrita sobre sentimentos e acontecimentos traumáticos se verificava não só no bem-estar mental dos indivíduos, como também na sua saúde física, com o reforço do seu sistema imunitário.

Aplicado ao teu negócio, o journaling traz-te uma série de benefícios que te podem ajudar a fortalecer a tua marca pessoal e até a melhorar a tua comunicação.

Caderno de journaling de uma empreendedora.

Hoje, acredita-se que o journaling ajuda a:

  • Lidar com as emoções;
  • Organizar e estruturar ideias e pensamentos;
  • Aumentar a concentração;
  • Obter clareza sobre algo que nos preocupa;
  • Encontrar alternativas para os problemas;
  • Aliviar tensões;
  • Recordar momentos positivos;
  • Aumentar a criatividade;
  • Desenvolver a autenticidade;
  • Definir uma voz e forma de escrever próprias;
  • Conhecermo-nos melhor;
  • Reconhecer padrões de pensamento e comportamento;
  • Criar novos padrões de pensamento que sirvam melhor os nossos propósitos.

Ao saberes disto, é fácil perceber como esta prática pode impactar positivamente o teu negócio, não é?

Mas, agora que já sabes o que é o journaling e conheces os benefícios que pode trazer à tua vida e ao teu negócio, vê como podes começar esta prática.

Escreve inflexível e direto sobre o que te dói e verás claro entre a neblina.” – Ernest Hemingway

Como praticar journaling?

Na verdade, não há grandes regras no journaling. O importante é colocar a mão em movimento e deixar fluir.

Tal como não há um tempo mínimo ou máximo para te dedicares a esta prática.

Como já referi, o ideal é que consigamos praticá-lo diariamente, de forma que os seus efeitos se façam notar mais rápida e facilmente.

Julia Cameron, uma autora norte-americana, no seu livro O Caminho do Artista defende que esta prática de escrita livre seja feita ao longo de 3 páginas A4, todas as manhãs. Ela chama-lhes as Morning Pages.

Na sua opinião, é preciso estarmos algum tempo a escrever até que aquilo que está no nosso subconsciente comece a vir ao de cima.

O journaling torna-se, assim, uma prática de resiliência também, pois nem sempre é simples conseguirmos estar focados na escrita ao longo de 3 páginas.

A mão, a partir de certa altura, começa a doer. Os pensamentos parece que param e já não sabemos o que escrever. Mas não devemos desistir. Quando isto acontece, Julia aconselha a que continuemos a escrever, nem que seja “Não sei o que escrever” as vezes que forem necessárias, até que surja um novo pensamento. Porque ele vai acabar por surgir.

As Morning Pages podem, por isso, ser consideradas uma meditação ativa.

Porém, quanto a mim, para começarmos a sentir resultados, não temos de, necessariamente, seguir esta recomendação. Embora lhe reconheça muito valor e concorde que é preciso darmos tempo ao nosso subconsciente para que se manifeste na página, escrever 3 páginas pode ser demasiado desafiante e impedir-nos de começar.

Como tal, se queres trazer esta prática para o teu dia a dia, podes definir um tempo para te dedicares a ela ou um determinado número de linhas, palavras ou páginas. Em alternativa, podes, simplesmente, escrever durante o tempo que te apetecer.

E, se te custa começar, compromete-te a fazê-lo só por 5 minutos. Ou a escrever só uma frase. A ideia é simplificar para que possas criar um hábito.

Podes dedicar-te ao journaling de manhã, antes de começares a trabalhar, quando a tua mente ainda está livre dos estímulos externos. Assim, estarás a potenciar a tua autenticidade e a tua voz, trazendo ao de cima o teu eu interior. Ou podes fazê-lo ao final do dia, integrando-o na tua rotina noturna. Desta forma, estarás a libertar a tua mente daquilo que aconteceu durante o dia, o que, por si só, te proporcionará um sono mais tranquilo.

Criar um ambiente para a tua prática também te irá ajudar a trazer a tua atenção para o momento presente.

Podes:

  • Preparar um chá ou outra bebida da tua preferência
  • Acender uma vela ou um incenso
  • Escrever no teu local favorito
  • Pôr uma música
  • Usar um caderno de que gostes e que uses apenas para o journaling
  • Usar uma caneta de escrita fluida, como as de tinta permanente ou de gel.

O mais importante: não haver interrupções. Este é um momento em que te vai dedicar só a ti.

Além disso, escreve com toda a honestidade. Não negues as emoções, os sentimentos e os pensamentos. Quanto mais honesta fores contigo e com a folha de papel que tens à tua frente, mais transformadora vai ser esta prática.

Ambiente criado e objetivos definidos, chegou a hora de escrever. Mas sobre o quê?

O que escrever durante a prática de journaling?

O que quiseres.

Se estiveres a fazer um journaling mais pessoal, escreve sobre as tuas dores e alegrias. Sobre os pensamentos negativos que tens sobre ti e sobre os outros. Escreve sobre as tuas forças e momentos de superação. Sobre aquilo que te faz sentir grata. Escreve sobre os teus sonhos e os teus medos. Sobre o que vês e ouves. Ou sobre o que imaginas. Escreve sobre aquilo que compreendes e o que não compreendes. Sobre o que te deixa irritada. Ou sobre o que te traz paz e entusiasmo.

Escreve sobre o que quiseres, mas escreve.

E, se quiseres direcionar o journaling mais para o teu negócio, tens aqui 30 tópicos para desbloqueares a tua criatividade e a tua voz única. Com estes exercícios, não só te conectarás contigo, com os teus valores e com o teu propósito, como também trabalharás, de forma simples, leve e intuitiva, a comunicação da essência da tua marca.

Para começar, deixo-te agora 15 ideias para desenvolveres na tua escrita diária.

15 Tópicos de journaling para começar a escrever

  • Estou a dedicar algum do meu tempo à escrita porque…
  • Hoje sinto-me…
  • Quais são as regras mais importantes na tua vida?
  • Num dia perfeito, eu…
  • Descreve algo que faças só por ti.
  • Descreve um momento em que tenhas superado uma dificuldade. Como te sentiste antes e depois? O que/quem te ajudou a superá-lo?
  • O que é que que te faz sentir bem, feliz, em paz?
  • Escreve uma carta/mensagem a alguém a quem estejas grata. (Não precisa de a entregar.)
  • Quando me sinto triste, encontro conforto em saber que…
  • Escreve sobre algo que andes a evitar.
  • Escreve sobre algo que te dê alegria.
  • Escreve sobre algo que te ande a preocupar. Porque é que isso te preocupa tanto? Como te sentes? Que opções tens ao teu dispor para resolveres essa questão?
  • Que papéis ainda esperas (ou gostarias de) vir a desempenhar na tua vida?
  • De que te orgulhas mais neste momento da tua vida?
  • Imagina-te sem limitações de qualquer tipo. O que estarias a fazer?

Concluindo…

Se queres trazer mais clareza à tua vida e ao teu negócio e abrandar os pensamentos em loop que não te têm deixado focares-te naquilo que é importante para ti e, pelo caminho, ainda desbloqueares a tua criatividade, desenvolveres a tua voz, aumentares o teu autoconhecimento e lidares mais tranquilamente com as tuas emoções, experimenta dedicar alguns minutos do teu dia à prática do journaling.

Basta um caderno, uma caneta e pôr a mão em movimento ao sabor dos teus pensamentos.

Já conhecias esta prática? E já experimentaste? Deixa-me o teu comentário com a tua opinião.

 

A tua página Sobre atrai o teu cliente ideal?

Usa esta checklist gratuita para verificares se a tua página Sobre tem tudo o que precisa para criar empatia e atrair o teu cliente ideal.